Acabamentos em joias

A joalheria tem passado por constantes processos de renovação e inovação, especialmente no que se refere ao design, ao uso das gemas e aos processos técnicos. E um dos quesitos que se destacam são os acabamentos utilizados: dos tradicionais polidos e diamantado aos mais atuais, que criam texturas diferenciadas nas peças.

Os profissionais do segmento se vêm obrigados a inventar novas técnicas para tornar esse trabalho cada vez mais esteticamente bonito e tecnicamente sofisticado, o que confere uma personalidade própria para cada joia. Esses acabamentos são feitos diretamente sobre o metal, onde são acrescentados relevos e saliências à joia, alterando sua textura e brilho. Para um bom resultado, o processo de acabamento é realizado depois de a peça estar pronta e limpa.

Vamos conhecer alguns tipos?

Polido: Muito comum em alianças, é um acabamento brilhante obtido através do polimento com escovas. Um dos mais tradicionais da joalheria.

Escovado: obtido com a utilização de escovas abrasivas e pode ter dois tipos de apresentação, diamantado (obtido com o uso de uma ferramenta com ponta de diamante que corta o metal, deixando-o com a aparência semelhante a de uma superfície cravejada de diamantes) e com brilho(obtido através de escovas com cerdas de aço que provocam ranhuras com brilho).

Acetinado: acabamento com brilho intermediário entre o polido (alto brilho) e o escovado (fosco). Para que a peça fique fosqueada utiliza-se uma lixa fina ou escova própria, dando um acabamento fosco acetinado, deixando o brilho do metal mais discreto. É importante que a peça tenha sido lixada e polida antes para que se alcance um acabamento acetinado homogêneo.

Craquelado: o metal é trabalhado de forma irregular, montada em degraus com a sobreposição de pedaços de tamanhos diferentes, dando à sua superfície a aparência de pequenas rachaduras.

Esmaltado: basicamente, esta técnica consiste em preencher superfícies e vazados de metal com um tipo de vidro, o esmalte, por meio de sua fundição. É a combinação de um vidro incolor e óxidos metálicos (ferro, manganês e cobre), dando cor a ele. Quando aquecidos, tornam-se líquidos e aderem à superfície do metal.

Filigrana: resultado obtido da torção de fios bem finos de ouro, que são cortados, torcidos, entrelaçados e soldados, produzindo desenhos delicados e elaborados de aparência rendilhada. Exige que o ourives tenha muita habilidade, criatividade e paciência.

Granulado: microesferas de metal são colocadas lado a lado, unidas sobre uma superfície de metal.

Jateado: utiliza-se nesse processo uma máquina que contém microesferas de tamanhos diferentes (com jato de areia e compressor), que servem para fosquear. A peça pode ser toda jateada ou receber esse tratamento em apenas um detalhe.

Martelado: utiliza-se um pequeno martelo para que com marteladas sutis e feitas com perícia e homogeneidade, a peça tenha um aspecto de puro luxo.

Oxidado: consiste na utilização de produtos químicos ou naturais que exercem reações na superfície dos metais, conferindo-lhes uma tonalidade diferenciada. Pode ser feita sobre a peça polida, fosca ou texturizada.

Então…qual escolher? A escolha é sempre uma questão de opção pessoal. Na verdade, todos apresentam uma beleza notável e podem ser combinados  para multiplicar as opções.

 

Aproveite para baixar um de nossos e-books com dicas exclusivas!Banner Chat Sugerido 3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *