Banner 16

Conhecida como Lágrima dos Deuses pela mitologia, a pérola é a única pedra preciosa do mundo que é fabricada por animais vivos e, ao contrário de outros minerais, não precisam de lapidação ou polimento para ser revelada a sua beleza.

 

Nossos antepassados falam, segundo textos antigos, que as pérolas nasceram nas águas da terra, pelos poderes do céu, foi fecundada por um relâmpago e considerada a filha da Lua. Outras lendas revelam a ligação da pérola com Vênus, a Deusa do Amor, o que faz dela a mais feminina das joias.

 

Na antiga Roma, eram consideradas símbolos de riqueza pelos membros da nobreza devido ao seu alto custo e por se tratar de uma raridade. No Renascimento, somente integrantes da mais alta estirpe nobre tinham acesso às mesmas.

 

Grandes homens da moda valeram-se das pérolas, elevando-as ao status de elegância, mas foi Coco Chanel quem propôs o uso das pérolas no cotidiano, além de mostrar que sua versão fake também era possível e não tinha nada de deselegante. Na atualidade, ocupam lugar preferencial entre as joias da mulher, tornando-se símbolos de inquestionável feminilidade.

 

 

As pérolas naturais são extremamente raras e representam menos de 3% da produção mundial. Além de estarem praticamente extintas, é um trabalho bastante árduo encontrá-las, haja visto a proporção de 1 em 1 milhão. Desde 1916, não são mais procuradas, pois o trabalho é muito difícil.

 

Antigamente eram recolhidas manualmente: a pessoa mergulhava e apanhava as ostras, verificando se estas continham ou não pérolas. Era um trabalho prolongado, já que em uma grande quantidade de ostras apenas uma porção muito pequena possuía uma pérola de qualidade que pudesse ser comercializada a um preço elevado.

 

O processo de produção das pérolas cultivadas segue o mesmo princípio das pérolas naturais. Implanta-se dentro de uma ostra um objeto irritante que irá gerar a pérola. Simplificando a reprodução, o custo é menor.

 

Os moluscos são criados até ficarem na idade certa para aceitar o nácar de madrepérola. Através de um processo delicado e cuidadoso, os profissionais fazem a implantação do nácar dentro do molusco, que é então devolvido para a água, onde recebe os devidos cuidados para que as pérolas se formem. Mesmo a partir deste procedimento, não são todos os moluscos que conseguem produzir a pérola. Há também os casos onde os moluscos desenvolvem a pérola, mas ou não saem com a devida qualidade ou não saem totalmente desenvolvidas.

 

Existem diferentes cores e tonalidade de pérolas, assim como texturas e brilhos. As cores mais apreciadas são cinza, azul, rosa, ouro, preta, branca e creme. Vale ressaltar que as cores não determinam o valor das pérolas. O tamanho, assim como ocorre com os diamantes, é fator preponderante na formação do preço. As pérolas mais caras são as maiores e mais redondas.

 

 

Na cidade de Toba, no Japão, há uma ilha chamada Ilhas das Pérolas de Mikimoto, local onde foi realizada a primeira cultura bem sucedida de pérolas pelas mãos de Kokishi Mikimoto (1858-1954). É também nesta ilha que podemos encontrar uma estátua do próprio Mikimoto, conhecido como o Rei das Pérolas.

 

 

Com tantas histórias, a pérola é símbolo da pureza e da beleza e sua utilização em conjuntos montados com materiais nobres só consegue evidenciar a beleza das mulheres.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *